Amigos Bolachudos

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Disto e daquilo

Tenho andado adoentada e a tentar refazer a minha vida.

Para além de uma presença no hospital, em pleno dia 1, com uma cachopa doente... nada como o meu carro roubado no dia 2... Roubado, roubado... que é como quem diz, partiram o vidro e não levaram nada. Camelos. Podiam ao menos ter apanhado os vidros. Aqui a burra é que ainda teve de apanhá-los, não é? Detesto ladrões que não acabam o serviço.

Bem, o carro já está em ordem. O resto não interessa.

Também eu fui apanhada de surpresa com o falecimento da Daniela. E, como sou muito desajeitada a expressar sentimentos tristes, resta-me dizer que a morte tem tanto de brutal e horrendo como de fascinante e incompreendido. Eu acredito que não é o fim de tudo. Acredito em alma, em energia, em céu e inferno, em justiça cósmica, em laços que não podem nunca ser quebrados. Choramos com a morte dos outros, porque precisamos da presença física deles, choramos com a morte dos outros, porque tememos a nossa própria morte.

Eu bem digo que nada é nosso...

Aliás, apetecia-me falar um pouco sobre a minha própria morte, mas tenho medo, nesta fase tão sensível e triste do nosso universo blogosférico, que  alguém se sinta melindrado ou que esteja mais suscetível.

Paciência, fica para outra altura.

Mas a Daniela está bem, tenho a certeza, apesar do sofrimento que marcou o seu fim de vida. Foi tudo tão súbito... Os pais é que devem estar numa angústia indescritível - não imagino dor maior do que essa, sinceramente.

Aproveito para dizer que fiz o meu rastreio mamário há coisa de pouco tempo. Sei lá... um mês, dois? Tenho as bubbies com uma constelação de microquistos, tenho de andar vigilante. Demorei algum tempo a fazer o exame, não só porque era a minha primeira mamografia (até então, só fazia eco mamária), mas também porque estava cheia de medo.

O medo, tal como a morte, é estúpido, não é?

Quanto à minha dieta, lá vai indo. E vai indo bem. Cheguei à conclusão de que só conseguirei obter resultados se não for equilibrada. Digam-me qual é o crime de comer um códrado de chocolate preto?! Nenhum! Tem pouquíssimas calorias! Mas, na verdade, eu sei que se comer o dito códradinho, há a forte probabilidade de comer a tablete toda. E depois... o sentimento do costume: perdida por cem, perdida por mil e aqui vou eeeeuuu...

Optei por:

- beber leite (magro) com café e torrada ou pão com manteiga (o pão é de centeio ou cereais, a manteiga é light) ao pequeno-almoço;

- uma peça de fruta e, se for muito difícil aguentar, um iogurte* também, a meio da manhã;

- um pouco de carne/peixe com um pouco de arroz ou massa ou batata e muita salada e/ou legumes ao almoço (de preferência, cozido, grelhado... mas se for um panado, por exemplo, como na mesma, não tenho possibilidade de grandes esquisitices...);

- leite ou iogurte e três bolachas torradas/maria/de água e sal (se continuar com fome, como uma peça de fruta), ao lanche;

- sopa e uma peça de fruta (se me deitar tarde, tomo leite ou bebo um iogurte).

De vez em quando, talvez troque o pão ou as bolachas por cereais, ou a fruta da noite por uma gelatina*...

Acho que é realista e vai de encontro aos meus gostos pessoais (por exemplo, nada me dá mais prazer e aconchego do que beber um leitinho quentinho ou café** à noite... fico tão calminha, tão boa pessoa!)

Tentarei beber mais água e chá... e calcorrear mais vezes a minha passadeira. Tentarei.

Est post já está enjoativo de tão longo. Não sei como tive paciência para tanta diarreia verbal....

* quanto aos iogurtes e à gelatina... compro os mais baratos que há no mercado, queridas amigas. Não invisto em produtos light, a não ser na manteiga e no leite (neste caso, magro) por uma questão de gosto, não de calorias. Prefiro açúcar a edulcorantes! Aliás, nem uso açúcar para adoçar nada.Quanto aos iogurtes, que se lixe, quero lá saber. Não é por 50 calorias a mais ou menos que vou perder ou ganhar peso. Desde que não desate a comer iogurtes como uma doida... (not)

** Posso beber café à vontade que durmo na mesma... e até me acalma!

 

8 comentários:

Me disse...

Bolachinha...adorei o teu post, tudo nele...concordo a 100 por cento com o que há para concordar...eu não conhecia a daniela, talvez tenhamos comentado um ou outro post entre nós, conhecia perfeitamente o blogue dela, é muito triste, imagino a dor da familia, mas seguramente estará bem, temos que acreditar em alguma coisa e fico feliz quando acredito nisso, que mais importa não é...
Quanto à tua dieta, és um orgulho, acho que está muito bem e força nisso querida, tu és assim...refrescante e quilibrada e maluca e super engraçada e mais um monte de coisas porreiras que se leem nas tuas entrelinhas.

Beijinhos grande até já.

LGG disse...

Sem dúvida que o tema da morte consegue ser horrendo ou fascinante. Mas, como dizes, traz uma dor terrível àqueles que cá ficam. E não imagino dor pior do que da perda de um filho.

Quanto à dieta... é difícil e essa teoria «perdida por 100, perdida por 1000» é a minha pior inimiga também.
Vamos lá a ajuizar-nos as duas, ok?
Bjocas

Alexandra disse...

Pois a minha morte... Não me assusta só tenho pena pelos que cá ficam. Acho que quem vai, vai. Agora a falta da presença física para os que cá continuam é assustadora.
Quando era pequena dizia aos meus pais que queria ser a 1ª a morrer, assim não sentiria saudades. Egoísmo de criança, claro! Hoje em dia não imagino dor maior do que um pai perder um filho.

A tua dieta está 5 estrelas (como a minha, diga-se de passagem...Ehehh)

Não sou natural de Ponte, estou cá a viver por "encavalamento" ehehh, há cerca de 10 anos... Eu fiquei com a ideia que tu deves ser de bem perto de uma praia do Norte, Viana para baixo...Apostaria quase Póvoa. Estou certa??

Um dia temos que organizar um encontro no Norte, quem sabe...

As melhoras...


Abraços grandes

Alex disse...

O teu post não tem nada de enjoativo :) Todo ele sincero e realista!
A morte da Daniela marcou todas as que a conheciamos e postavamos e recebiamos os seus comentarios e então desde que ela estava em Itália o acompanhamento ainda era maior... mas é a lei da vida... já todos o sabemos. Efectivamente creio que não há dor maior que a perda de um filho... Coragem para os seus pais e namorado... tb não deve ser fácil para ele!
A tua dieta está 5 estrelas :-)

Sweet68 disse...

Concordo com todas. A morte é com certeza horrível para quem cá fica. Quem vai já não sofre. Durante uns tempos não vai parar de doer a quem está mais próximo.

A tua dieta está excelente e isso viu-se claro na pesagem de ontem. Boa miúda.

A ideia do encontro das blogueiras em Lisboa é genial. Infelizmente também não vou poder ir, mas a um organizado aqui no Norte ia claro, com todo o prazer.

Beijo e obrigada pelas palavras de carinho.

Alexandra disse...

Tens um selinho:)

Isa disse...

ná pá de quá :)

beiju e um excelente ano para ti e para as tuas princesinhas

Jóh disse...

são muito boas escolhas! ;)